O que aprendi em 8 anos fazendo parte de uma rede de franquias.

Em novembro desse ano, exatamente 8 anos após ter entrado numa rede de franquias, decidi me desligar e abrir minha marca própria, construindo minha carreira solo.

Sou extremamente grato a tudo o que aconteceu, tanto do lado positivo quanto do lado negativo, ao longo desses anos. 

Os sucessos me trouxeram ensinamentos e alegrias, mas os fracassos me trouxeram lições poderosas e marcantes para o meu crescimento pessoal e profissional.

Dizer que ser franqueado não é bom, pois a franquia é exploradora e só quer “sugar” o lucro do franqueado é injusto, pois caso o modelo de negócios seja realmente eficaz, o resultado positivo vai aparecer e o empreendedor vai ficar satisfeito com o investimento feito, enxergando a relação franqueador / franqueado como positiva. 

Mas, também não podemos afirmar que todos os modelos de franquias são bons, haja visto os casos recentes de insucesso no sistema de franchising. Esses casos, na minha opinião, são justificados pela precipitação do empreendedor em querer multiplicar sua idéia, sem tê-la validado e moldado-a para ser replicada de forma efetiva por terceiros.

Depois de tantos anos convivendo nesse meio, deixo alguns conselhos que me ajudaram a passar por toda essa etapa com segurança:

. Ter uma assessoria jurídica, vai te ajudar nos momentos de dúvida em relação a situações cotidianas, além de te orientar sobre como proceder quando algum fato diferente acontecer. Hoje, vejo que contratar uma assessoria jurídica é um investimento e deve fazer parte do orçamento da empresa. Uma decisão errada ou, não tomar uma atitude num determinado momento, pode comprometer o desenvolvimento eficaz do seu contrato de franquia;

. Ter uma assessoria de RH para dar suporte nos processos de contratação. Caso não tenha entre os sócios um profissional de RH que possa exercer essa função, recomendo que o empreendedor contrate um profissional para essa atividade, sempre que precisar contratar novos colaboradores, etc. Um erro na contratação de um colaborador pode trazer sérios danos ao dia-a-dia da empresa, assim como fazer com que a empresa tenha custos extras com rescisão, etc.;

. Ter apoio de uma empresa marketing, pois, por mais que a franqueadora tenha a expertise do mercado, cada mercado local tem as suas peculiaridades e um bom profissional de marketing vai saber direcionar os melhores investimentos da sua unidade para a divulgação do seu negócio. Porque falo isso? Porque as taxas de marketing que o franqueado paga são usadas para fazer o marketing institucional, que não provoca reflexos na sua operação local. E, se você não fizer um bom planejamento do seu marketing, com certeza os resultados que você espera não vão aparecer na velocidade que você deseja. Lembrando que esse profissional deve trabalhar alinhado com as políticas da franqueadora, sempre respeitando as regras estabelecidas;

. Fazer um fundo de caixa para eventualidades que possam acontecer ao longo da realização do contrato. Essa verba será usada para atualização de maquinário, reciclagem de colaboradores, pintura do imóvel, adequação de decoração, etc. Num período de 5 anos, é bem provável que você tenha que pintar sua empresa, comprar algum equipamento novo, etc. E, se você não tiver uma reserva financeira, pode ser pego de surpresa e se comprometer na gestão do seu negócio;

. Estar sempre atualizado das novidades e tendências do seu mercado. Acompanhar a movimentação dos seus concorrentes, de outras empresas do seu segmento, etc, além de acompanhar o que empresas internacionais do seu segmento estão fazendo, pois o que acontece no exterior, com certeza, tende a se tornar uma tendência no mercado nacional alguns meses depois. Essa atualização também se estende ao lado pessoal e profissional, pois como empreendedor é fundamental estar capacitado da melhor forma possível, aplicando os conceitos mais modernos de gestão e usando as melhores ferramentas e softwares.

Você Constrói o Seu Sucesso!

Na minha opinião a gestão de uma franquia não tem nada de diferente da gestão de qualquer outro tipo de empresa, pois todos os empreendimentos são criados para dar lucro e retorno do investimento. Sem isso, tudo não passará de uma aventura com um final infeliz. Por essa razão, empreender como franqueado, assim como abrir um negócio próprio, não é para qualquer um. Experiência em gestão de equipe, conhecimento do mercado local, capacidade de investimento, capacidade analítica bem desenvolvida, além de ter know-how em outros projetos já realizados são pontos fundamentais que vão ajudar o empreendedor ter sucesso no empreendimento. Ao adquirir uma franquia, o empreendedor compra o acesso a um modelo de negócios testado e validado, mas que vai precisar da gestão e acompanhamento por parte dele, não devendo delegar para a franqueadora a tarefa de cuidar do seu negócio.

A todos que se arriscam nesse mercado, desejo sucesso e prosperidade.

Em outro post, vou falar sobre as minhas dicas para a análise de uma franquia, para quem está pensando em empreender nesse segmento.

E vivia a iniciativa e a coragem dos brasileiros, pois ser empreendedor nesse país não é para qualquer um!

Acompanhe-me nas redes sociais!